Rio de Janeiro recebe a quinta edição da Corrida de rua global

A corrida não possui linha de chegada / Foto: DivulgaçãoA corrida não possui linha de chegada / Foto: Divulgação

Rio de Janeiro - Depois de reunir mais de 150 mil atletas ao redor do mundo em 2017, a Wings for Life World Run, corrida que acontece simultaneamente em diferentes países, voltará ao Brasil pelo quinto ano consecutivo, mas de casa nova: o Rio de Janeiro. Confirmada para o dia 6 de maio, a corrida anunciou o trajeto oficial na capital fluminense nesta quinta-feira, dia 8 de fevereiro, passando por grandes pontos turísticos da cidade.
 
Os corredores largarão às 8h da manhã na Zona Oeste do Rio, começando pela Praça do Pontal. De lá, seguirão pelas orlas da Barra da Tijuca, Leblon, Ipanema e Copacabana, além de passarem pelo centro. As inscrições já estão abertas e todo o valor arrecadado será revertido para pesquisas em prol da cura da lesão na medula espinhal.
 
"A proposta de transformar a vida das pessoas é o que faz dessa corrida tão especial. Ela apoia uma causa que muitas vezes é esquecida. Essa é uma causa da qual não sou apenas embaixador, mas uma pessoa que vive isso diariamente", afirma Fernando Fernandes, embaixador da Wings for Life World Run no Brasil.
 
O Rio de Janeiro se juntará, pela primeira vez, a cidades de outros países como Áustria, Croácia, Suiça e Estados Unidos, que largarão ao mesmo tempo, independentemente do fuso horário. Ao contrário das corridas de rua convencionais, na Wings For Life World Run é a linha de chegada que persegue os atletas. O chamado "Catcher Car" (carro perseguidor) larga 30 minutos depois dos competidores e vai aumentando a velocidade gradativamente, alcançando um por um. O último a ser ultrapassado pelo veículo é o campeão do evento. No ano passado, o vencedor global da prova foi o cadeirante sueco Aron Anderson, que correu mais de 90 km, batendo o recorde da competição.
 
Criada em 2014, a Wings for Life World Run já reuniu mais de 435 mil corredores de 193 nacionalidades, que juntos percorreram 4,2 milhões de quilômetros.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook