Valéria Prieto conquista tri e Altobeli da Silva o bi no Unifeb Music Run

O evento teve disputas acirradas e reuniu cerca de 500 pessoas entre atletas profissionais e amadores / Foto: Nivaldo JuniorO evento teve disputas acirradas e reuniu cerca de 500 pessoas entre atletas profissionais e amadores / Foto: Nivaldo Junior

São Paulo - Os atletas catanduvenses Altobeli da Silva e Valéria Sanches Prieto Santos, estão se consolidando na liderança da principal prova do Unifeb Music Run, a de 10km na categoria geral (masculino e feminino). Realizado pelo curso de Educação Física do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos (UNIFEB), no último domingo, dia 8, o evento teve disputas acirradas e reuniu cerca de 500 pessoas entre atletas profissionais e amadores.
 
Numa competição apertada, com diferença de poucos segundos para os segundos classificados, os atletas Altobeli e Valéria percorreram os 10 km nos tempos de 29’27 e 36’12. Outro destaque da categoria foi a classificação do atleta paralímpico que tem apenas 5% da visão, Yeltsin Ortega Jackues, que fez o percurso em 33 minutos. Na categoria de 5 km Paulo Hubert fez o percurso em 16’45 e Jaqueline Paraiso em 21’14, já a categoria Comunidade Unifeb teve como tricampeão o docente da instituição, Fábio Olivieri de Nóbile, que concluiu o percurso em 38’25  . A assessoria esportiva que mais inscreveu participantes foi Adriano da Mata.
 
Atleta olímpico o bicampeão Altobeli da Silva, disse que esperava obter um bom desempenho e declarou a satisfação em correr em sua região, “O Unifeb Music Run é uma prova bem organizada, com percurso plano e agradável. Participarei em 2018”, disse o atleta que recentemente ganhou o troféu Brasil de Atletismo e representou o país no último campeonato mundial de atletismo em Londres. Já a catanduvense Valéria Sanches Prieto, com uma diferença de 14 segundos, celebrou emocionada o tricampeonato, “Treinei para esta prova e foi uma emoção muito forte vencer”, declarou. O atleta paraolímpico Yeltsin Jackues, natural de Sidrolândia – Mato Grosso do Sul, mora em São Paulo e soube por amigos do evento. Com apenas 5% de visão ele não encontrou dificuldades no percurso e destacou a organização e sinalização como diferenciais, “Percurso rápido, organizado, sinalizado”, disse. Jackues que é campeão Pan-Americano de Toronto (2015), vice-campeão mundial na França (2013) e líder do ranking mundial paralímpico (2014), agora treina para competições em Lima (2019) e Tokyo (2020).
 
O coordenador do evento e docente do Centro Universitário, Douglas Miranda, destacou algumas melhorias desta edição, “Esse ano conseguimos oferecer um kit melhor, premiação atraente, um bom número de participantes, e atletas de alta performance compareceram em maior número. Além disso, a mudança do local da largada e chegada foi bem avaliada pelos participantes, sendo assim, continuaremos trabalhando para fazermos um evento ainda melhor no próximo ano”, disse.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook