Corrida Insana transforma autódromo de Interlagos na praia do paulistano

Etapa de São Paulo do evento voltado para a diversão em família com obstáculos gigantes em um circuito de 5km reúne mais de 14 mil pessoas no sábado (23) e domingo (24) / Foto: FMES/DivulgaçãoEtapa de São Paulo do evento voltado para a diversão em família com obstáculos gigantes em um circuito de 5km reúne mais de 14 mil pessoas no sábado (23) e domingo (24) / Foto: FMES/Divulgação

São Paulo - A ‘praia do paulistano’ mudou de lugar no último final de semana. Nem shopping center. Nem Avenida Paulista. Os moradores de São Paulo invadiram o autódromo de Interlagos no sábado (23) e domingo (24) para participar da Corrida Insana.
 
Em sua estreia no Brasil e pela primeira vez na cidade, o evento criado nos Estados Unidos recebeu milhares de pessoas ‘doidas’ por um dia de diversão em família. E se divertiram no circuito de 5km recheado por dez obstáculos infláveis gigantes. A próxima etapa da Corrida Insana será em Brasília, no próximo domingo (1 de outubro).
 
Conhecido mundialmente como o templo da velocidade no Brasil, o autódromo de Interlagos parecia um parque de diversões. Pessoas de todas as idades, de crianças a idosos, gente habituada a praticar atividade física e sedentários, grupos de familiares e amigos, colegas de trabalho e turma da academia. As diferentes tribos encontraram espaço para conviver em harmonia. Na etapa paulistana da Corrida Insana não faltaram fantasias, de bailarinas a super-heróis, comemoração de aniversários e até despedidas de solteira.
 
No total, a Corrida Insana recebeu mais de 14 mil pessoas em São Paulo, entre corredores e acompanhantes. Mesmo quem não encarou o circuito de 5km e os dez obstáculos infláveis, aproveitou a área de alimentação com food trucks e outro espaço destinado a crianças com vários brinquedos infláveis gratuitos. “Foi muito bom ver tanta gente se divertindo, sempre em um clima de alegria e cordialidade. É uma família insana de felicidade e na paz”, resumiu Fábio Avelar, diretor técnico do evento.
 
David Pinski levou a mulher, Nara, e os filhos Gabriel, de 10 anos, e Thomaz, de 8, para vivenciarem juntos a experiência na Corrida Insana. E todos gostaram. “O evento é muito bacana e divertido. Realmente surpreendente. A possibilidade de fazer uma atividade em família faz toda a diferença. Os meninos adoraram, tanto que dispararam na frente e chegaram antes da gente”, contou. “Gostei de todos os brinquedos. Foi muito legal e quero correr mais vezes”, completou Gabriel que, ao lado do irmão, exibia sua medalha de participação.
 
A família Uratsuka também correu junta em Interlagos. “Soubemos da Corrida Insana pelo site. Mostrei os vídeos para as crianças e eles empolgaram. Foi bem fácil convencê-los a participar. Minha esposa corre e também adorou a ideia. Eu não sou corredor, mas gostei e pretendo voltar ano que vem”, disse Márcio, ao lado da mulher Kelly e dos filhos Juliana, de 11 anos, e Lucas, de 9 anos. “O evento é demais e ainda motiva as pessoas a correr”, lembra Kelly. “Eu gostei muito e achei bem diferente, porque não é só correr reto. Tem que subir, descer, fazer um monte de coisa”, resumiu Lucas.
 
O casal Daniel Vieira e Lidiane Almeida encontraram um meio de levar o filho de apenas 4 anos para participar da corrida Insana. Se revezaram empurrando o carrinho de Daniel Júnior pelo percurso de 5k. A cada obstáculo, o menino deixava o seu veículo para brincar com o pai ou a mãe dentro do brinquedo. “Minha mulher ficou sabendo do evento no treino de crossfit, que montou grupos. O carrinho foi um meio para que ele pudesse participar com a gente. E confesso que, no último obstáculo, eu já não aguentava mais de cansaço, mas ele pediu para ir e eu encarei. Esse tipo de evento é muito importante para o crescimento das crianças, pois incentiva a prática esportiva”, ressaltou Vieira.
 
Marcia Busato não tem filhos, mas vai iniciar uma nova família neste sábado (30 de setembro), quando se casa com o noivo Fernando. Uma semana antes de mudar de vida, ela escolheu a Corrida Insana para sua despedida de solteira, a segunda em Interlagos durante o evento. “Conheci o evento pela Internet e tive essa ideia. Falei com as meninas da academia e elas toparam. Adoramos a atividade. Nunca imaginei ter uma despedida assim, tão maluca”, afirmou ela, que subiu no primeiro obstáculo para puxar o aquecimento antes do início da largada.
 
São Paulo foi a sexta etapa da Corrida Insana no Brasil. Depois de passar por Goiás (Goiânia), Minas Gerais (Belo Horizonte) e Santa Catarina (Blumenau), o evento chegou ao estado de São Paulo em setembro, primeiro em Ribeirão Preto e depois Sorocaba, até chegar à capital paulista. Juntas, as seis primeiras etapas reuniram cerca de 30 mil pessoas para um dia de muita diversão e alegria por meio do esporte.
 
Diversão democrática - A Corrida Insana não tem restrições quanto à participação, nem limite de idade. A única exigência é que a pessoa tenha altura mínima de 1,05 metro de altura. As largadas são em ondas com cerca de 170 pessoas cada vez, o que garante segurança e permite que grupos pratiquem a atividade juntos e sem atropelos. Não há cronometragem, nem obrigatoriedade de ultrapassar todos os obstáculos do percurso. Mesmo assim, todos recebem o kit do atleta ao cruzar a linha de chegada.
 
Criada nos Estados Unidos, é um evento destinado ao entretenimento familiar por meio do esporte. “A estrutura é pensada para estimular os corredores ao entretenimento enquanto praticam atividade física. Tenho certeza que quem participou em São Paulo adorou”, garantiu o diretor técnico Fábio Avelar.
 
Vem mais por aí - A Corrida Insana está licenciada para o Brasil, primeiro país latino-americano a receber o evento, para os próximos três anos. E os planos são grandiosos. Para 2018, a meta é dobrar o número de etapas, chegando a 36. “Vamos levar o circuito para as regiões do Norte e Nordeste, que não foram contempladas nesse ano, devido ao curto espaço de tempo dessa primeira temporada, na qual optamos pelas regiões Sul, Sudeste e Centro Oeste”, informa Avelar.
 
O diretor revela que tanto os obstáculos como o know how foram importados diretamente dos Estados Unidos. “Promover esse evento exige uma estrutura enorme, pois envolve uma logística de importação dos infláveis, compressores, motores, transferência de tecnologia, treinamento com a equipe americana, licenciamento da marca, publicidade, seguros, equipamentos de estrutura, entre outros”, informou o empresário, que complementou. “Temos um contrato de exclusividade no período de 36 meses. A cada 12 meses, faremos as trocas dos infláveis a fim de oferecer um novo circuito com novos desafios a cada temporada”.
 
Conheça os obstáculos infláveis:
1 - LARGADA INSANA: a prova começa com o desafio de uma subida, seguida por um escorregador gigante.
2 – WAVERUNNER: é plano, mas cheio de lombadas e ondulações.
3 - MATTRESS RUN (Campo Minado): um teste para o equilíbrio e agilidade em um caminho cheio de buracos.
4 - BIG BALLS: Bolas gigantes surgirão à frente dos corredores e será preciso desviar.
5 - CRASH COURSE (Montanha): uma verdadeira montanha russa cheia de altos e baixos.
6 - PURE MISERY (no Sufoco): baseado nos manuais de treinamento militar, é um monstro de 30 metros de comprimento que testará força, agilidade, flexibilidade e resistência.
7 -WRECKING BALLS (Demolição): imagine bolas de demolição de prédios vindo na direção dos corredores. Ainda bem que são infláveis.
8 - JUMP AROUND: pular, saltar e descer resume este desafio.
9 - SLINGSHOT (Estilingue): o desafio é subir até o topo com a ajuda de uma corda e
escorregar.
10 - FINISH LINE: o ‘gran finale’ reúne um pouco de cada um dos obstáculos anteriores. É subir, pular e escorregar até a vitória.
 
Etapa de Sorocaba: 
 
Etapa de Belo Horizonte:
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook