Viviane Favery disputa a Haute Route Asheville na Carolina do Norte

Vivi, Colin e Jordan / Foto: DivulgaçãoVivi, Colin e Jordan / Foto: Divulgação

Estados Unidos - Após embarcar no início desta semana para o Estados Unidos, onde fará três semanas de treinos intensos em um training camp na região da Floresta Nacional de Pisgah, na Carolina do Norte, a ciclista Viviane Favery tem mais um desafio para testar as pernas no País norte-americano.
 
Entre sexta-feira e domingo, de 18 a 20 de maio, Viviane disputa a edição de 2018 da Haute Route Asheville. Serão três etapas, com um total de 308 km a serem pedalados e 6.200 m de altimetria acumulada.
 
"Aproveitando que estou neste período de treinamentos aqui nos Estados Unidos, decidi disputar a versão da Carolina do Norte da Haute Route, uma prova super conhecida no mundo todo, com diversas competições em diferentes continentes. Na América do Norte há também etapas na Califórnia e Colorado, na Europa há disputas nos Alpes Franceses, Pirineus, Dolomitas, entre outros locais. Será um excelente treino para mim, no ciclismo de estrada", conta Vivi Favery, ciclista da equipe Cannondale Brasil Racing.
 
Viviane Favery, que no Brasil integra também o Shimano Sports Team, está hospedada na cidade de Brevard, localizada a 55 km de Asheville. Lá, ela está em contato diário com seu treinador, o norte-americano Colin Izzard, ciclista que é especialista em treinamentos de longa duração no esporte e foi atleta profissional, tanto no ciclismo de estrada, quanto no mountain bike.
 
"Na CTS de Brevard, o Colin tem diversos outros treinadores que trabalham com ele, em uma estrutura bem legal. Ele treina vários atletas profissionais de estrada, downhill, cross country e maratona, e é um dos seniores da CTS, trabalhando há 15 anos nesta área", destaca Vivi. "Está sendo muito legal ficar hospedada na casa de uma das minhas melhores amigas, fazendo um verdadeiro intercâmbio de experiência no ciclismo. Estou perto do meu treinador e em um local com trilhas de excelente qualidade no MTB. Não poderia ser melhor", complementa.
 
"Estar aqui me permite ver tudo que está acontecendo em um País que tem uma cultura muito forte do ciclismo. Assim, posso me atualizar ainda mais em um período que, ao invés de eu estar treinando em casa, eu pude me mudar por três semanas e saí da zona de conforto, em um lugar novo, aprendendo e evoluindo, sempre focada no treinamento. A dedicação está sendo 100%, sem ter outros compromissos que possam me tirar do foco da bike", finaliza Vivi, atleta que em 2018 foi contemplada com o Programa Bolsa Atleta do Ministério do Esporte.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook