Brasil é incluído como uma das etapas de Copa do Mundo da UCI

Brasil irá fechar calendário Mundial da UCI / Foto: Thiago LemosBrasil irá fechar calendário Mundial da UCI / Foto: Thiago Lemos

São Paulo - Que o mountain bike tem crescido no Brasil não é segredo pra ninguém. Hoje temos o país nos primeiros lugares do ranking da União Ciclística Internacional, tanto no masculino com Henrique Avancini quanto no feminino com a Raiza Goulão. Mas não são apenas os atletas que lutam com mtb nacional.
 
A equipe da CIMTB Levorin, em parceria com a CBC e City Mountain Bike, tem feito isso e será a responsável pela Copa Mundo de Eliminator, que acontece de 22 a 24 de novembro. É a primeira vez que uma etapa de Copa do Mundo de Mountain Bike XCE é incluído na América Latina.
 
Em 2018 o Brasil fará o fechamento da temporada mundial e a CIMTB Levorin está em fase de selecionar a cidade-sede. "Será uma grande honra sediarmos a grande final da Copa do Mundo de XCE. É a materialização de um projeto de longo prazo que ainda tem muito a crescer nos próximos anos. Neste momento estamos avaliando as possíveis cidades no Brasil que preenchem os pré-requisitos para sediar o evento", explicou o organizador da CIMTB Levorin, Rogério Bernardes.
 
Atletas - Atualmente em 5º lugar no ranking da UCI e hexacampeão na CIMTB Levorin, Henrique Avancini (Cannondale Factory Racing), afirmou que o mountain bike brasileiro está entre os melhores do mundo. "Não só eu como atleta, o mtb brasileiro está entre os melhores do mundo. Temos uma grande qualidade de organização de competições, comparado às melhores provas do mundo e é mais do que justo e inteligente por parte da UCI trazer uma etapa da Copa do Mundo de Eliminator para o Brasil", comentou.
 
O XCE é uma modalidade que surgiu em 2010 e Henrique afirma que é uma prova que se encaixa com facilidade em ambiente urbano. "É uma modalidade relativamente nova e que a UCI pecou um pouco no formato quando lançou. Agora está tentando reajustar a aplicação do Eliminator que é uma modalidade que traz a possibilidade de ter uma demonstração do mtb de uma maneira mais dinâmica e rápida com um toque urbano. Então, teoricamente é um formato que pode ser aplicável em qualquer grande cidade e em qualquer centro urbano", explicou.
 
O atleta Luiz Henrique Cocuzzi (Equipe Lar Scott) também concorda que uma Copa do Mundo de Eliminator abre novos caminhos. "É muito importante para o mtb brasileiro ter provas dessa magnitude sendo realizadas aqui. Provas desse nível atrai público, divulga nosso esporte, aumenta o nível de nossos atletas e também incentiva novos amantes do mountain bike. O XCE é uma prova de velocidade e muito disputada o tempo inteiro. Eu gosto muito desses estilo de prova", disse.
 
Experiente no mtb, com três Olimpíadas no currículo, o atleta Rubens Donizete Valeriano (Sense Factory Racing), diz que uma Copa do Mundo de XCE é um passo que está de acordo com a evolução do mtb no país. "A evolução do mtb no Brasil está cada ano maior e um exemplo disso é o Henrique Avancini. Fazendo um trabalho a longo prazo, ele conquistou um resultado histórico no Mundial. Ele sempre pensou no mtb como um todo e em Londres ajudou o Brasil a conquistar a vaga nos Jogos Olímpicos. É disso que o esporte precisa, de parcerias. Pensando por este lado, é muito importante as marcas apoiarem atletas", explicou.
 
Segundo ele, uma Copa do Mundo de XCE vai levar a emoção do mtb para o público emoção. "O Eliminator é uma prova emocionante e competitiva que um pequeno erro faz toda diferença. NO XCO você tem mais tempo e consegue criar estratégias. Vai ter atletas de nível alto e eu acho que isso é motivador para muitos competidores brasileiros", comentou.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Curta - EA no Facebook