Viviane Favery busca o bicampeonato do Brasileiro de Maratona MTB na Bahia

Ciclista da equipe alemã ROSE Vaujany fueled by ultraSPORTS está em Vitória da Conquista, cidade que receberá a competição neste domingo (27) / Foto: Ney Evangelista / NG FotosCiclista da equipe alemã ROSE Vaujany fueled by ultraSPORTS está em Vitória da Conquista, cidade que receberá a competição neste domingo (27) / Foto: Ney Evangelista / NG Fotos

Bahia - A cilista Vivane Favery está em Vitória da Conquista, na Bahia, onde tentará conquistar o seu segundo título nacional de Maratona MTB, modalidade também conhecida como XCM (cross country marathon).
 
Campeã brasileira em 2015, Vivi - como é conhecida - disputa neste domingo (27) a edição de 2017 do Campeonato Brasileiro de XCM, com um percurso de 80 km e uma acumulação de aproximadamente 1.800 metros.
 
"Pelo o que pude ver, o percurso tende a me favorecer, porque não tem serras longas. Em uma primeira análise, é um cross country gigante, com bastante sobe e desce", conta Vivi. "Se o bicampeonato vier, será uma coisa maravilhosa. Sonho muito com isso e estou super motivada. Seria outro marco muito importante na carreira. Mas, independente disso, vou dar meu melhor porque sei que as adversárias estão bem preparadas e o nível brasileiro só cresce, algo que respeito bastante", completa a ciclista,que competirá com sua Psycho Path da Rose Bikes, uma bike hard tail (rígida) aro 27,5. 
 
A favor da paulistana radicada em Mogi das Cruzes (SP) é o tempo em Vitória da Conquista, que registra temperaturas amenas neste inverno. "O clima aqui está frio. Chovendo e gelado, com bastante vento. A previsão é que melhore até domingo, sem ter chuva. Assim, já é melhor do que o calor forte, o que é um ponto positivo. Além disso, as estradas não deverão estar com pó, o que deixa tudo mais rápido", conta a integrante da equipe alemã ROSE Vaujany fueled by ultraSPORTS. 
 
Vivi conta ainda sobre o período de treinamentos visando a competição. "Confesso que não tive minha preparação dos sonhos, porque fiquei doente duas vezes entre julho e agosto, e nos dez dias que antecedem a prova não consegui treinar, só pude fazer a manutenção, para administrar o prejuízo. Me recuperei e estou bem. Já fiz coisas incríveis no esporte em momentos em que não esperava e sei que estou forte. Vim para tentar disputar o título e estou feliz de estar aqui, competindo em alto nível", finaliza.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Rugby campeão

Brasil é campeão do Sul-Americano 6 Nações

 

 

 
Mascotes

Curta - EA no Facebook