Estágio Internacional é realizado no Parque Náutico em Curitiba

Curso contou com a participação de 10 alunos-treinadores e foi ministrado por um renomado técnico espanhol / Foto: Divulgação/CBCaCurso contou com a participação de 10 alunos-treinadores e foi ministrado por um renomado técnico espanhol / Foto: Divulgação/CBCa

Curitiba - Aconteceu no último final de semana, no Parque Náutico e Centro de Treinamento da Seleção Brasileira Permanente de Canoagem Velocidade, em Curitiba - PR, o Estágio Internacional de Canoagem Velocidade da Academia Brasileira de Treinadores (ABT).
 
A iniciativa é do Instituto Olímpico Brasileiro (IOB), o braço educacional do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), em parceria com a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa). O Estágio visa complementar a formação profissional dos treinadores por meio da participação de treinadores internacionais já consagrados e especialistas nas modalidades.
 
O palestrante na ocasião foi o técnico espanhol Miguel García Fernandez, 43 anos, com passagens pelos Jogos Olímpicos de Barcelona 92 e Atlanta 96 como atleta, e medalhista como técnico nos Jogos de Pequim (2008), Londres (2012) e Rio de Janeiro (2016). Com esse currículo invejável o treinador europeu foi convidado à transmitir sua experiência e conhecimento à 10 alunos-treinadores de Canoagem da Bahia, Pará, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.
 
O Estágio teve duração de quatro dias, onde os alunos tiveram um embasamento científico de técnicas de remada e treinamento específico para o caiaque, além de contar com o suporte técnico e tático do treinador espanhol que não acredita em fórmula mágica para o sucesso no esporte, mas sim no trabalho. “São formas diferentes de vermos as coisas, sobretudo o que eu tento passar são experiências. Eu disse no início do curso que não tenho nenhuma varinha de condão ou receita mágica, mas tenho um trabalho do passado, uma experiência. Espero que transmitindo essa minha vivência, o futuro da canoagem no Brasil melhore” explica Miguel.
 
Por mais que o treinador espanhol trabalhe com atletas de alto rendimento, o conhecimento adquirido no Estágio ajudará os treinadores a criarem uma forma de treino e ensino de técnicas que possa ser trabalhada desde a base, tanto na Canoagem Velocidade como em outras modalidades.
 
O aluno Antonio Alves dos Santos, auxiliar técnico da Equipe Permanente de Canoagem Slalom, acredita que existe uma técnica de deslize da embarcação, e essa técnica é única, independente da modalidade. “No Slalom temos deslocamentos laterais que não existem na Velocidade, mas a técnica em si nada mais é do que conhecer os pontos específicos que você pode usufruir da embarcação e tirar proveitos deles”, informou.
 
O Estágio internacional busca a capacitação dos treinadores para que o esporte continue evoluindo sob a tutela de treinadores brasileiros de alto nível. Esse é um objetivo que está dentro da realidade. Segundo Miguel “o Brasil está no processo e mostra que os treinadores são comprometidos, têm interesse, procuram sempre melhorar e se informar. A chave são os estímulos externos, a ajuda de treinadores com mais experiência”, ressaltou.
 
O Estágio Internacional de Canoagem Velocidade encerrou o ciclo de estágios realizados pelo IOB, que já contemplou nove modalidades olímpicas em um espaço de quatro anos. Nesse período mais de 300 treinadores de Ciclismo, Judô, Ginástica Artística, Natação, Taekwondo, Remo, Atletismo e Canoagem participaram do programa.
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook