Esquiva Falcão luta neste sábado nos Estados Unidos

Medalhista olímpico enfrenta francês Salim Larbi / Foto: Flávio Perez | On Board SportMedalhista olímpico enfrenta francês Salim Larbi / Foto: Flávio Perez | On Board Sport

Estados Unidos - O brasileiro Esquiva Falcão enfrenta, neste sábado, dia 10, o francês Salim Larbi, em Carson, nos EUA. A luta terá duração de 10 rounds e será realizada no StubHub Center, palco de outros combates importantes da modalidade. O combate na categoria dos médios (até 72,5 kg) deve ocorrer já na madrugada de domingo, dia 11, horário de Brasília, e será uma das preliminares de Oscar Valdez vs Scott Quigg.
 
O medalhista olímpico sobe no ringue pela 20ª vez como profissional. Se vencer e continuar invicto, o brasileiro encara o japonês Ryota Murata, em junho, provavelmente em Las Vegas, pelo título mundial da World Boxing Organization (WBA).
 
''Estou bastante motivado e feliz por representar o Brasil. Meu objetivo, mais uma vez, é nocautear o francês e ganhar ainda mais confiança para a revanche olímpica contra o Murata''. Como citou acima, o capixaba enfrentou Ryota Murata na decisão de Londres 2012 e a vitória, bastante polêmica na ocasião, ficou com o japonês.
 
Sobre o combate deste sábado, em Carson, na Califórnia, Esquiva Falcão sabe que a Top Rank escolheu um adversário duro e bem resistente. Salim Larbi tem um cartel de 18 vitórias e 8 derrotas, mas apesar dos números é um oponente difícil de nocautear.
 
''Serão 10 rounds e terei pela frente um bom boxeador, que treina muito e se destaca pela resistência. É daqui pra cima. Não tem moleza no caminho do título do mundo. Me preparei bem com meu treinador Robert Garcia, estou no peso e rápido'', contou o capixaba, patrocinado por Everlast, Paris Filmes e Netshoes.
 
Dividindo os treinamentos entre Vila Velha (ES) e Riverside (EUA), Esquiva Falcão tem 19 lutas como profissional e tem 13 nocautes. O capixaba segue invicto na carreira.
 
''O Esquiva está bastante confiante e preparado para fazer mais uma grande apresentação. Ele está rodeado de profissionais de alto nível e a condução de sua carreira foi feita para chegar nesse momento em condições de levar o cinturão dos médios para o Brasil'', explicou o manager do atleta, Sérgio Batarelli.
 
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook