Brasil, Sérvia e EUA terão atletas de elite no Gigantes do 3x3

Alguns dos melhores colocados no ranking mundial da Fiba estarão no Rio, no próximo dia 04, de olho numa vaga nos Jogos Tóquio 2020 / Foto: Divulgação FibaAlguns dos melhores colocados no ranking mundial da Fiba estarão no Rio, no próximo dia 04, de olho numa vaga nos Jogos Tóquio 2020 / Foto: Divulgação Fiba

Rio de Janeiro - O Gigantes do 3x3 vai reunir no próximo dia 4 de fevereiro, na Praça do Trem, Zona Norte do Rio de Janeiro, alguns dos melhores atletas de Brasil, Sérvia e Estados Unidos na modalidade, recém-incluída no programa olímpico para os Jogos de Tóquio 2020. Feras como Dejan Majstorovic, líder do ranking mundial da Fiba (Federação Internacional de Basquete), e Luiz Felipe Soriani, o brasileiro melhor ranqueado (61º lugar), vão mostrar sua habilidade ao público carioca, numa arena especialmente montada na Praça do Trem, no entorno do Estádio Olímpico Nilton Santos, o Engenhão.
 
"Depois que a modalidade foi incluída no programa olímpico, claramente passou a ter mais visibilidade e atraiu o interesse de mais praticantes. Além do nível técnico estar em ascensão, acredito que os países mais tradicionais no basquete 5x5 vão começar a subir mais no ranking, como é o caso de Brasil, Estados Unidos, Espanha e França", explica Fernando Coloneze, coordenador técnico do evento e ex-atleta profissional de basquete.
 
O ranking mundial da Fiba é dividido em três categorias, individual, equipes e confederações (países). No masculino, a Sérvia é a nação número 1 na classificação mundial. Nove jogadores sérvios estão no top 10 individual. Desses, quatro estarão no Gigantes do 3x3, incluindo Dejan Majstorovic, Marko Savic e Dusan Bulut, que ocupam, nessa ordem, os três primeiros lugares. Ao lado de Marko Zdero, eles formam o time que é o atual campeão do mundo.
 
"É a terceira vez que vou jogar no Brasil. Espero um evento com muita torcida, uma grande disputa e que possamos vencer", disse Majstorovic, que tem uma ligação com outra paixão dos brasileiros, o futebol. "Eu joguei futebol por sete anos. Aos 14, comecei a jogar basquete porque era o esporte que a maioria dos meus amigos praticava. Em cada esquina da Sérvia você pode ver alguém praticando o 3x3. Somos nascidos em um país de grandes campeões. Sabemos jogar sob pressão", completou.
 
Para chegar ao título mundial, os sérvios passaram pelos Estados Unidos nas quartas-de-final. Os norte-americanos foram representados pelos mesmos atletas que estarão no Gigantes do 3x3, em busca de revanche: Craig Moore, Damon Huffman, Zahir Carrington e Daniel Mavraides. Defendendo a equipe de Princeton, eles conquistaram o título da NBA 3x e foram duas vezes campeões nacionais. 
 
O Brasil será representado por dois times, um jogará de verde e outro de amarelo. Entre os oito brasileiros no Gigantes do 3x3, Luiz Felipe Soriani é o mais bem colocado no ranking mundial. Douglas Gorauskas é o terceiro melhor dos jogadores do país no ranking e também é o mais alto (2,06m) e pesado (125kg) dos atletas do torneio. Já Diguinho Del'Arco é o mais baixo (1,76m) e leve (72kg) dos Gigantes do 3x3. 
 
Vale destacar também Leandro "Discreto" Lima, o primeiro brasileiro a ter um contrato profissional na modalidade. Outras atletas como Marcellus Sarmento e Diego Conceição se afastaram do 3x3 no ano passado para disputarem o NBB e por isso caíram no ranking mundial. Carlinhos "Soul" Silva Júnior e Alfredo Luiz Perandini completam a lista de brasileiros.
 
"Nunca tive a oportunidade de jogar contra essa equipe norte-americana, mas os Estados Unidos são o país do basquete, com grandes atletas. Já a equipe da Sérvia eu conheço bem. Já joguei contra eles algumas vezes. É sempre um jogo muito físico e duro. Acredito que o Brasil vem forte. A torcida pode ser um diferencial para nós", disse Luiz Felipe Soriani.
 
Veja Também: 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

Curta - EA no Facebook