Futuro professor de educação física vence os 100m com barreiras

“Ajudar o povo do atletismo”, é o sonho do pernambucano Yago Almeida / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB“Ajudar o povo do atletismo”, é o sonho do pernambucano Yago Almeida / Foto: Wander Roberto/Exemplus/COB

Curitiba - Valorizar o professor de Educação Física é primordial para o futuro do esporte brasileiro e um dos objetivos dos Jogos Escolares da Juventude. Ser professor é uma das profissões mais nobres do planeta e o sonho para muitos jovens do país, como o pernambucano Yago Delgado Almeida, estudante do Colégio Ser e Crescer, de Recife (PE), medalha de ouro nos 100m com barreiras dos Jogos Escolares da Juventude Curitiba 2017.
 
Yago não pensa duas vezes quando perguntado sobre os seus sonhos para o futuro. “Vou ser professor de Educação Física para ajudar o povo do atletismo e transformar a vida de muita gente”, disse o jovem de 14 anos.
 
O jovem pernambucano começou no atletismo há menos de um ano e logo se apaixonou pelo esporte. A dedicação nos treinos foi tanta que nesta quinta-feira, dia 14, conquistou o ouro nos 100m com barreiras da maior competição estudantil do país. O objetivo agora é defender o Brasil no Campeonato Sul-Americano Escolar, que acontecerá em Cochabamba, na Bolívia, no fim do ano.
 
“Comecei a treinar em novembro do ano passado por influência de dois primos e já estou conquistando resultados importantes. Treino todos os dias, sem exceção. É difícil conciliar os estudos com os treinos, mas por enquanto está tudo dando certo”, disse Yago, que venceu a prova com o tempo de 14s27.
 
Henrique Malheiros, do Instituto Educacional Ice Eireli, de Cuiabá (MT), ficou com a medalha de prata com 14s40, e Kauã Lemos, do Ciep 455 Maringá, de Macaé (RJ) levou o bronze (14s47).
 
Quem entregou as medalhas no pódio foi a campeã mundial no salto com vara e Embaixadora dos Jogos Escolares da Juventude, Fabiana Murer. Sempre solícita e atenta a todas as provas, Fabiana tirou fotos com os jovens atletas e autografou diversas camisas, bonés, shorts e onde quer que os meninos e meninas pedissem.
 
Grávida de seis meses, Fabiana já sabe qual será o nome e a data de nascimento da filha. Ela se chamará Manuela e nascerá dia 21 de dezembro. “Espero que ela seja jogadora de tênis ou de golfe porque viver do atletismo é muito difícil”, brincou. Aos mais jovens, mais seriamente, ela disse: “É um prazer estar mais uma vez aqui. Acho importante participar, incentivar a garotada. Vejo as carinhas de felicidade por ver de perto seus ídolos. Sei que nem todos irão bem nessa competição, mas o esporte é assim, as vezes a gente ganha, as vezes perde e temos que saber conviver com tudo isso, vitórias e derrotas fazem parte do nosso dia a dia”, ensinou.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

Esportes de Neve

Victor Santos fala sobre o Cross Country

 

 

 
Mascotes

Mais lidas da semana

Curta - EA no Facebook