COB e CBAt buscam novos talentos no atletismo nacional

Projeto piloto do COB entra na terceira e última fase com o objetivo de desenvolver novos praticantes do atletismo / Foto: Divulgação/COBProjeto piloto do COB entra na terceira e última fase com o objetivo de desenvolver novos praticantes do atletismo / Foto: Divulgação/COB

Rio de Janeiro - Uma das modalidades mais nobres dos Jogos Olímpicos, o atletismo é o foco do projeto piloto do Comitê Olímpico do Brasil (COB) para a identificação de talentos entre jovens de 12 a 17 anos.
 
O “Projeto de Identificação e Confirmação de Talentos no atletismo” é dividido em três fases – Identificação, Confirmação e Desenvolvimento – e entra agora na sua fase final, a de Desenvolvimento, com a parceria da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA).
 
“A metodologia que aplicamos não ensina uma prova específica, e sim desenvolve fundamentos em todas as provas da modalidade. Esse é um projeto inovador para o COB e o contato com o atletismo mudou a vida de alguns jovens, que agora querem trilhar esse caminho. É uma primeira relação com o Movimento Olímpico”, afirma Agberto Guimarães, diretor-executivo de Esportes do COB.
 
As aulas acontecem no Centro de Treinamento da Universidade da Força Aérea (UNIFA), no Rio de Janeiro, que foi a casa do atletismo do Time Brasil durante os Jogos Rio 2016. Todos os jovens que foram selecionados para o projeto moram ou estudam em escolas municipais perto da UNIFA. A fase de Identificação contou com o apoio da Secretaria Municipal de Educação, Escolas e professores de Educação Física da região. Na de Confirmação o processo foi mais próximo dos pais, que participaram de atividades educativas com os filhos, como palestra sobre riscos da automedicação, orientação nutricional e psicologia esportiva, entre outras.
 
“O resultado que tivemos no decorrer das duas primeiras fases é muito positivo. Tanto os jovens, quanto seus pais e suas escolas participaram ativamente. Outro ponto interessante foi que o jovem não praticou somente provas específicas como arremesso ou velocidade, e sim um apanhado de todas”, explica Sebastian Pereira, Gerente de Identificação e Desenvolvimento de Talentos do COB. “Esse é um projeto que tem flexibilidade, já que pode ser expandido para clubes e centros de treinamento de outros esportes, caso conte com o apoio fundamental da Confederação dessa modalidade”, diz.
 
A fase de Identificação realizou cerca de duas mil avaliações. Desse número, 80 passaram para a etapa de Confirmação, mas fatores como mudança de colégio ou evasão levaram 43 jovens para a segunda fase. Vinte atletas seguirão para a fase de Desenvolvimento e 23 para o Programa Forças no Esporte (PROFESP). Todos treinaram sob o comando de um grupo de treinadores contratados pelo COB e também contaram com fisioterapeuta, médico e psicólogo. Os jovens selecionados para a fase de Desenvolvimento ficarão a cargo da CBAt para participar de competições sob a bandeira da Confederação e também contarão com uma equipe multidisciplinar sob responsabilidade da CBAt. Os que seguem para o PROFESP, das Forças Armadas, também terão contato com outras modalidades além do atletismo.
 
 

Eventos esportivos / Entidades Mundiais

CEO da CBDN

Pedro Cavazzoni fala sobre PyeongChang 2018

 

 
Mascotes
Curta - EA no Facebook